quarta-feira, 12 de julho de 2017

No Recinto Doméstico

 
Bondade no campo doméstico é a caridade começando de casa.
Nunca fale aos gritos, abusando da intimidade com os entes
queridos.
Utilize os pertences caseiros sem barulho, poupando o lar a
desequilíbrio e perturbação.
Aprenda a servir-se, tanto quanto possível, de modo a não a-
gravar as preocupações da família.
Colabore na solução do problema que surja, sem alterar-se na queixa.
A sós ou em grupo, tome a sua refeição sem alarme.
Converse edificando a harmonia. É sempre possível achar a
porta do entendimento mútuo, quando nos dispomos a ceder, de nós mesmos, em pequeninas demonstrações de renúncia a pontos de vista.
Quantas vezes um problema aparentemente insolúvel pede
tão somente uma palavra calmante para ser resolvido?
Abstenha-se de comentar assuntos escandalosos ou inconve-
nientes.
Em matéria de doenças, fale o estritamente necessário.
Procure algum detalhe caseiro para louvar o trabalho e o carinho daqueles que lhe compartilham a existência.
Não se aproveite da conversação Para entretecer apontamen-
tos de crítica ou censura, seja a quem seja.
Se você tem pressa de sair, atenda ao seu regime de urgência
com serenidade e respeito, sem estragar a tranqUilidade dos outros.
André Luiz
Livro Sinal Verde

Nos Domínios da Voz


Observe como vai indo a sua voz, porque a voz é dos instru-
mentos mais importantes na vida de cada um. A voz de cada
pessoa está carregada pelo magnetismo dos seus próprios sentimentos.
Fale em tonalidade não tão alta que assuste e nem tão baixa
que crie dificuldade a quem ouça.
Sempre aconselhável repetir com paciência o que já foi dito
para o interlocutor, quando necessário, sem alterar o tom de voz, entendendo-se que nem todas as pessoas trazem audição impecável.
A quem não disponha de facilidades para ouvir, nunca dizer
frases como estas: "Você está surdo?", "Você quer que eu grite?", "Quantas vezes quer você que eu fale?" ou "Já cansei de repetir isso".
A voz descontrolada pela cólera, no fundo, é uma agressão e
a agressão jamais convence. Converse com serenidade e respeito, colocando-se no lugar da pessoa que ouve, e educará suas manifestações verbais com mais segurança e proveito.
Em qualquer telefonema  recorde que no outro lado do fio está alguém que precisa de sua calma, a fim de manter a própria tranquilidade. 
André Luiz
Livro Sinal Verde

Saudações

 
Toda saudação deve basear-se em pensamentos de paz e ale-
gria.
Pense no seu contentamento quando alguém lhe endereça palavras de afeto e simpatia, e faça o mesmo para com os outros.
Mobilize o capital do sorriso e observará que semelhante in-
vestimento lhe trará precioso rendimento de colaboração e felicidade.
Uma frase de bondade e compreensão opera prodígios na
construçãno do êxito.
Auxilie aos familiares com a sua palavra de entendimento e
esperança.
Se você tem qualquer mágoa remanescendo da véspera, co-
mece o dia, à maneira do Sol: - esquecendo a sombra e brilhando de novo.
André Luiz
Livro Sinal Verde

Ao Levantar-se


 
Agradeça a Deus a bênção da vida, pela manhã. Se você não
tem o hábito de orar, formule pensamentos de serenidade e oti-
mismo, por alguns momentos, antes de retomar as próprias ativi-
dades.
Levante-se com calma.
Se deve acordar alguém, use bondade e gentileza, reconhe-
cendo que gritaria ou brincadeiras de mau gosto não auxiliam em
tempo algum.
Guarde para com tudo e para com todos a disposição de coo-
perar para o bem.
Antes de sair para a execução de suas tarefas, lembre-se de
que é preciso abençoar a vida para que a vida nos abençoe. 
 
André Luiz
Livro Sinal Verde

De alma para alma


 
Faze da fé a lúcida cartilha
Na romagem de pranto que te apura
E, atravessando a grande noite escura,
Segue, louvando a mágoa que te humilha.

Não desdenhes chorar, querida filha...
Sob o rude madeiro da amargura
Atingirás a luz da imensa altura,
Onde a glória do amor se eleva e brilha... 

Recorda o Mestre aflito e solitário
E agradece, nas urzes do Calvário,
A sacrossanta dor que te ilumina!
 
Vence as pedras da angústia e do cansaço
E, um dia, alcançaremos, passo a passo,
O Eterno Lar da Redenção Divina.

Do livro Relicário de Luz, obra mediúnica psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier.
 

terça-feira, 11 de julho de 2017




"O Universo embaraça-me e não posso acreditar que esse relógio exista e não tenha um relojoeiro" (Voltaire)

Quanto mais estudo, mais pequena me sinto.
Quanto mais estudo, mais admiro a natureza que me rodeia.
Quanto mais estudo, mais me aproximo de meus semelhantes.
Quanto mais estudo, mais vejo... E olhando para trás, sinto que o maior sofrimento já passou...
Quanto mais vejo, mais sinto a fé em mim.

Elaine Saes