Paciência

“Aquele que conquistou a paciência conquistou a si mesmo.” - Emmanuel


Que significa a palavra Paciência? Pode ser a junção de duas outras: Paz + Ciência. Concordam?

PAZ: é geralmente definida como um estado de calma ou tranquilidade, uma ausência de perturbações ou agitação. Derivada do latim Pacem = Absentia Belli, pode referir-se à ausência de violência ou guerra.

CIÊNCIA: Em sentido amplo, ciência (do Latim scientia, significando "conhecimento") refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemática.

Podemos definir Paciência com sendo um estado calmo e tranquilo, sem perturbações ou agitações pelo conhecimento das causas que nos rodeiam ou nos visitam. 

Assim, quem está sob a ação de um problema qualquer deve antes conhecer o problema, sua origem e as soluções a serem impetradas. Para isto terá que ter Paciência, ou seja, agir num estado calmo e tranquilo, sem perturbações ou agitações. Isto pelo conhecimento prévio das causas que nos rodeiam ou nos visitam. 

Normalmente somos perturbados por enfermidades ou por situações adversas de relacionamentos familiares, conjugais ou sociais. É necessário entender que ninguém é vitima de coisa alguma. Tudo o que nos ocorre tem uma necessidade e um tempo de duração. 

Por exemplo, uma enfermidade. Elas são necessárias para drenar nossas mentes de atos infelizes praticados em outras encarnações ou mesmo nesta. Tudo o que fazemos fica arquivado em nossa mente. Se for uma atitude boa servirá para expandir a centelha divina que existe em cada um de nós; se for uma atitude maldosa terá que ser expurgada da mente, o que normalmente acontece através das enfermidades. A paciência funciona como um estado superior de consciência para superar a dor e a alteração tanto física, quanto psíquica. Há também a dor evolução que se caracteriza por um estado em que o Espírito passa por um processo de esforço, gerando ou não algum tipo de desconforto, para adquirir outro estágio. Conforme nos diz o Instrutor Druso no livro Ação e Reação, de André Luiz, psicografado pelo Chico Xavier. 

No caso de Pessoas e/ou situações, a causa é sempre a mesma assinalada acima. Daí a Paciência para que as questões se resolvam. Uma vez resolvidas, a própria vida dá o encaminhamento; ou nos afasta da pessoa ou situação, ou nos resolvemos com ambas. 

Nas Leis Naturais está escrito que “a cada um será dado de acordo com sua obra”. Assim vamos colhendo nossos plantios. 

A Doutrina Espírita nos capacita a agir com tranquilidade. Devemos usar os ensinamentos que ela nos proporciona, bem como da oração e não da reza. Rezar significa repetir decoradamente o que outro escreveu. Orar é o pedido, a palavra, o louvor ou o agradecimento que parte de cada coração. Na espiritualidade todas as nossas orações são ouvidas, catalogadas, e providenciado o atendimento, tudo de acordo com o mérito de cada um. 

Mais uma vez a Paciência entra em ação:

Ter tranquilidade para esperar porque se tem o conhecimento da causa. Assim, antes de se revoltar, xingar, agredir, é bom pensar. Colocar-se como filho (a) de Deus sublimemente protegido por Ele que não desampara ninguém. 

Quer melhorar de vida? Trabalhe e aguarde em paz.

Quer se curar? Medique-se física e espiritualmente e aguarde em paz.

Quer conseguir um bom emprego? Esforce-se e aguarde em paz. 

Paz é a melhor ciência para se vencer na vida. Em seu livro Agenda Cristã, André Luiz nos diz, no capítulo 29: “A Paciência não é vitral gracioso para as suas horas de lazer. É amparo destinado aos obstáculos”. Daí que ser paciente é ser altivo conhecedor dos processos que qualificamos como dolorosos ou difíceis. Também Emmanuel, no livro Encontro Marcado, nos dá sua sempre valiosa contribuição: “Paciência, em verdade, é perseverar na edificação do bem, a despeito das arremetidas do mal, e prosseguir corajosamente cooperando com ela e junto dela, quando nos seja mais fácil desistir”. 

Quantos buscam as vias do suicídio direto por não terem a vontade de persistir um tanto mais. Deixam o corpo físico em lastimáveis situações. Buscam a morte e encontram a vida e, agora, numa projeção diferente e em perspectivas dolorosas. Tudo por não aguardarem em paz um pouco mais. A cada minuto no Brasil e no mundo centenas de pessoas eliminam o próprio corpo. Os órgãos de saúde e bem-estar questionam o porquê destas ações. Há sempre uma história, mas na síntese podemos afirmar que, se aguardassem um pouco mais, esses irmãos e irmãs não cometeriam tal desatino. 

“Paciência é o poder que nos traz o reino da felicidade.” Encontramos essa joia no livro Entre Irmãos de Outras Terras, ditado por Espíritos Diversos a Chico Xavier e Waldo Vieira e editado pela FEB em 2004. 

“A verdadeira paciência é sempre uma exteriorização da alma que realizou muito amor em si mesmo, para dá-lo a outrem, na exemplificação.” Eis o que encontramos na questão 254 do livro O Consolador, de Emmanuel. Notamos que o tema é intensamente estudado na espiritualidade por se constituir numa alavanca poderosa para o domínio do Espírito sobre forças contrárias que atuam em si mesmo. A vitória no bem será sempre apanágio de almas virtuosas que encontram forças para atingir seus objetivos de níveis superiores. A Paciência será sempre a amiga a cantarolar hinos de glórias enquanto persistimos. 
GUARACI DE LIMA SILVEIRA
http://www.oconsolador.com.br/ano11/511/ca6.html 

Comentários

Postagens mais visitadas