segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Vamos começar a entender quem somos... JESUS E DESAFIOS - Joanna de Ângelis



"Desafiado, Jesus venceu. Segue-O e nunca te detenhas antes os desafios para o teu crescimentos espiritual. "

Caro leitor, lendo a frase acima podes pensar.... Mas para Jesus foi fácil, pois ele era Jesus!
Jesus conhecia a psicologia humana e a as leis que regem a natureza.
Sabia que sendo o ser humano parte da natureza, tudo iria seguir um fuxo normal rumo ao alto, lento, porém  inevitável.
Ele com seus ensinamentos provocava o despetar dos espíritos, sempre com respeito e a docilidade. Você não ouviu falar que Jesus foi grosso, não teve paciência.. Porque ele sabia que cada um tinha o seu tempo. Assim como aconteceu com ele...
Começa agora o entender quem somos... os por quês das crises que nos acometem. E somente através dos estudos é que abrimos a mente para verdade. Jesus disse "Conheças a verdade e a verdade vos libertará"

Bom estudo. 

Elaine Saes

O processo de evolução constitui para o Espírito um grande desafio.

Acostumado às vibrações mais fortes no campo dos sentidos físicos, somente quando a dor o visita é que ele começa a aspirar por impressões mais elevadas, nas quais encontre lenitivo, anelando por conquistas mais importantes.

Vivendo em luta constante contra os fatores constringentes do estágio em que se demora, por vez por outra experimenta paz, que passa a querer em forma duradoura.

No começo, são as dores com intervalos de bem-estar que o assinalam, até conseguir a tranquilidade com  a plenitude sem aflição.

De degrau em degrau ascende, caindo para levantar-se atraído pelo sublime tropismo do Amor.

Conseguir o estágio mais alto, significa-lhe triunfar.

***
Aturdido e inseguro, descobre uma conspiração quase geral contra o seu fatalismo. São as suas heranças passadas que agora ressurgem, procurando retê-lo na área estreita do imediatismo, e nível inferior de consciência, onde, apenas se nutre, dorme e se reproduz, com indiferença pelas emoções do belo, do nobre, do sadio.

Anestesiado pelas necessidades vegetativas busca apenas o gozo, que termina por causar-lhe saturação, passando a um estado de tédio que antecipa a necessidade premente de outros valores.

Lentamente desperta para realidades que antes não o sensibilizavam e, de repente, passam a significar-lhe meta a conseguir, sentindo-se estimulado a abandonar a inoperância.

O psiquismo divino, nele latente, responde ao apelo das forças superiores e desatrela-se do cárcere celular, qual antena que capta a emissão de mensagens alcançadas somente nas ondas em que sintoniza.

O primeiro desafio, o de penetrar emoções novas, o atrai, impelindo-o a tentames cada vez mais complexos, portanto, mais audaciosos.

Experimentando este prazer ético e estético, diferente da brutalidade do primarismo, acostuma-se com ele e esforça-se para novos cometimentos que, a partir de então, já não cessam, desde que, encerrado um ciclo, qual espiral infinita, outro prazer se abre atraente, parecendo-lhe cada vez mais fácil.

***
Tudo na vida são desafios às resistências.
A "lei de entropia"degrada a energia que tende à consumpção, para manter o equilíbrio térmico de todas as coisas.

O envelhecimento e a a morte são fenômenos inevitáveis no cosmo biológico e no universo.

Os batimentos cardíacos são desafios à resistência do músculo que os experimenta; os peristálticos são teste constantes para as fibras que os sofrem; a circulação do sangue é quesito essencial para a irrigação das células; a respiração constitui fator básico, sem o qual a vida perece. Tudo isso e muito mais, na área dos automatismos fisiológicos, a interferir nos de natureza psicológica.

É natural que o mesmo suceda no campo mora do ser, que nunca retrocede, e não deve estacionar sob pretexto algum.

No progresso, a evolução é inevitável.

A felicidade é ponto final.

***
Não cabe ao homem retroceder na luta, senão para reabastecer-se de forças e prosseguir nos embates.

O crescimento de qualquer ideal é resultado dos estágios inferiores vencidos, das etapas superadas, dos desafios enfrentados.

A sequoia culmina a altura e o volume máximo, célula a célula.

O universo se renova e prossegue, molécula a molécula.

Facilidade é perda de estímulo com prejuízo para a ação.

Toda a vida do Mestre foi um suceder incessante de desafios.

Embates no Seu meio social e familiar constituíram-Lhe os primeiros impedimentos, que foram ultrapassados, em razão da superior finalidade para a qual viera.

Ele não aceitou carregar o fardo do mundo em caráter de redenção dos outros, mas ensinou cada um a conduzir o seu próprio compromisso em paz de consciência; não assumiu as tarefas alheias, nem deixou de demonstrar como fazê-la, no entanto, altaneiro, sem presunção, tampouco sem submissão, covarde.

Os desafios da sociedade injusta, e arbitrária chegaram-Lhes provocadores, medinate situações, pessoas e circunstâncias; apesar disso, sem deter-se, Ele continuou íntegro, enfrentando-os sem ira ou medo.

Passou aquele tempo, todavia, permanecem os resíduos doentios.

Alterou-se a paisagem, não os valores, que prosseguem relativamente os mesmos, gerando obstáculos e insatisfação.

Enfrenta os desafios da tua vida, serenamente.

Não aguardes comodidades que não mereces.
Realiza tua marcha, indômito, preservando os teus valores íntimos e aumentando-os na ação diária.

Quem teme a escuridão, perde-se na noite.

Sê tu aquele que acende a lâmpada e clareia as sombras.

Desafiado, Jesus venceu. Segue-O e nunca te detenhas antes os desafios para o teu crescimentos espiritual.
Joanna de Ângeles - livro Jesus e Atualidade - cap 1

domingo, 3 de dezembro de 2017

Companheira Depressão

Conheci essa companheira chamada depressão a muitos anos atrás, e desde então, ela tem me acompanhado a caminhada, sabe-se-lá desde quantas vidas... sempre vai e volta, e quando vem, chega de mansinho a me precionar (hoje eu sei) a me estigar a buscar pelo auto conhecimento, acho que essa é a sua função (comigo).

A depressão vem me ajudar a enxergar quem realmente sou, quais os meus valores e mostrar que muito tenho a trabalhar, aqui mesmo, dentro de mim.

Sempre a detestei, pois quando chega fico desânimada, fico no meu quarto dias e dias sem vontade de nada; pensando e buscando respostas, que não vem...

Cansada dela, à alguns anos venho buscando nas  leituras de diversos autores e nas  várias correntes filosóficas e religiosas, o caminho de dizer adeus a essa querida, ou melhor, de não sentir mais o mal estar da sua companhia.

 Agora neste momento, ela continua comigo, eu sinto, está quieta, talvez porque está vendo meu esforço em trilhar o caminho do autoconhecimento. E sabendo que ela me observa, eu fico esperta para que não a provoque, pois estou cansada de andar em circulos, dando sempre de encontro com ela.

O que tenho feito? Bom, a caminha já é longa, pois foi o tempo que levei para amadurecer.

 Por vários anos eu venho estudando a Doutrina Espírita, gosto muito, procurando entender os porques da vida.  Hoje, faço escola do Aprendiz do Evangelho em um Centro Espírita aqui de S.P. chamado Grupo Socorrista Itaporã e agora, depois dos deslumbres que a Doutrina me causou, ficou  tudo muito mais claro para mim.  A Doutrina de Jesus é simples, racional, seus ensinos fazem a ligação entre a mente e o coração.

 No meu entender quer dizer que, todo os ensimentos de Jesus é profundamente psicológico, ele com sua maestria em lidar com a psique humana, nos leva a refletir sobre a vida,  através de exemplos do dia-a-dia, seus ensinos são atuais, pois continuamos os mesmos desde a 2000 atrás, pouco evoluimos.


A parte tecnológica que nos rodeia, mostra o futuro, e os ensinos do Mestre também.

Psicologicamente falando, temos medo de ouvir, medo de ler, de refletir... de trazer Seus ensinos para o nosso cotidiano, pois quando começam a tocar lá no fundo da alma, sem dar conta,  a gente corta e parte para outra coisa.
 
Me conforta saber que somos regidos por Leis Divinas, que tudo funciona perfeitamente; me dá confianca e sei que essa leva à fé. Fé em Deus que cuida de tudo e de todos, com justiça e sabedoria.

Também estou aprendendo que nessa minha caminhada em busca do auto conhecimento e consequentemente, auto transformaçao eu preciso ter coragem. Coragem para colocar em prática tudo que já aprendi e que minha consciência me sinaliza a fazer.

Sempre me vinha nas mãos mensagens de Joanna de Ângelis, psicografadas por Divaldo Pereira Franco e não havia a ligação mente coração. Hoje sei o porque! Eu não estava pronta! Agora sim! As psicografias  da Mentora tem me alimentado a alma. Com a graça de Deus, estou conseguindo através de seus livros entender ao ser que sou.

Então a partir de agora, irei postar  neste blog trechos de livros, estudos.. Desta tão querida irmã, para que através da repetição consiga fixar em meu subconsciente, me ajudando e a você, se quiser, também.

Obrigada Pai por tudo que tenho passado, sei que agora não regrido, o que aprendi ficará comigo para sempre.

Pai Creador permita que amigos irmãos, estejam comigo me inspirando o caminhar.

Gratidão,

Elaine Saes

domingo, 1 de outubro de 2017

“Quem não usa a razão é fanático; quem não sabe raciocinar é facilmente iludido; e quem não se permite utilizar a própria consciência e percepção é um escravo. Hammed - espírit




A Física Quântica prova que é o seu pensamento que cria a sua realidade.






Poder do pensamento
Distúrbios mentais, necessidade de tomar remédios para manter a sanidade em dias como os que temos que passar hoje em dia: dias de stress, dias de viver para trabalhar e não trabalhar para viver, dias que temos que ter o corpo perfeito, pele perfeita, cabelo perfeito, roupas perfeitas, dias em que a perfeição exterior se sobrepõe a beleza interior. E damos aos nossos filhos coisas materiais para tentar superar a falta de nossa presença, e estamos criando mais pessoas como nós. Um ciclo sem fim.

Estamos permitindo que nossos sentimentos e pensamentos ruins tomem conta de nós.

Já se sabe hoje através de muitos experimentos científicos que nosso pensamento altera nossa realidade e nossa saúde.

Experimentos como o da molécula da água de Masaru Emoto (veja o vídeo abaixo) mostram como as palavras tem o poder de alterar nosso DNA, trazendo para nossa vida saúde ou doenças, alegrias ou tristezas, prosperidade ou pobreza. Assim também como nossos pensamentos e sentimentos tem o poder de criar a realidade que estamos vivendo.

Nosso corpo é composto praticamente de mais de 80% de água. Isso nos faz pensar se o pensamento altera as moléculas da água, o que são capazes de fazer com nosso corpo.

A maioria das pessoas não afeta sua realidade porque não acredita que pode.

Como observamos o mundo a nossa volta, é o que volta para nós.

Se sua vida está carente de alegria e felicidade, por exemplo, é porque falta colocar foco nisso.
Quando temos uma mentalidade de vitima, atraímos para nós tragédias, infortúnios, porque acreditamos que assim é a vida.

Por que você não consegue conquistar o que deseja?
Por falta de concentração.

Perdemos a concentração a cada 6 ou 10 segundos por minuto.

Quando alguém quer se concentrar de verdade, quer a limpeza da mente. É por isso que professores exotéricos ensinam a se concentrar numa chama de fósforo, pois você aprende por o foco, e a densidade de energia fica maior.

A mente é estruturada em camadas, assim como o Universo, do superficial ao profundo.

Se usarmos a mente de forma superficial, teremos um poder limitado, mas num nível mais profundo a mente pode criar Universos.

O pensamento positivo deveria nascer para você junto com o sol. Acordar de manha e mentalizar como você quer que seu dia seja.

Mas nossa mente não consegue ficar focada e nos leva a pensarmos nas coisas que temos que fazer durante o dia, nesse momento, é necessário acalmar a mente e focar no que realmente se quer para seu dia.

Quando conseguimos criar nosso dia, começam acontecer pequenas coisas inexplicáveis, e então percebemos sinais do resultado da nossa criação.

Quanto mais fazemos isso, vamos construindo uma rede neural em nosso cérebro e começamos crer que isso é possível. Isso nos força e incentiva para fazermos de novo no dia seguinte.

A física quântica quer mostrar as pessoas comuns que nossa observação tem um efeito direto em nosso mundo.

Infelizmente somos pobres observadores, não conseguimos manter nossa concentração. As coisas externas influenciam muito na maneira como pensamos, e ao invés de criar, nosso cérebro responde aos estímulos externos.

Devemos dedicar uma parte de nosso dia a monitorar nossos pensamentos, igual a um jardineiro que rega todos os dias sua planta, por que sabe que colherá seus frutos.

A mente cria o corpo
 Tudo começa nas células. E quem dá ordem para as células, são nossas redes neurais que são baseadas em nossas experiências e nas informações que mandamos para lá.
 
Se quisermos mudar algo temos que mudar a maneira como interagimos com tudo a nossa volta.

Toda vez que temos o mesmo comportamento reforçamos nossa identidade para nós mesmos, e essa identidade pode ser boa ou ruim.

Se contaminarmos nossas células com pensamentos ruins, quando as células se dividirem elas criaram uma nova célula com o mesmo padrão.

Será que somente uma alimentação saudável pode alterar o conteúdo de uma célula que foi alterada negativamente durante 20 anos abuso emocional?

Para começar mudar nossa realidade, devemos nos amar mais em primeiro lugar, começando por substituir pensamentos que criam uma realidade ruim por outros que criam a realidade que se quer.

Vamos voltar lá no experimento de Masaru Emoto, lembra? Se os pensamentos alteram as moléculas da água, imagina o que não podem fazer com nosso corpo.

Muita gente se rende e acaba vivendo sua vida na mediocridade, vivendo assim, o desejo nunca vem para a superfície. Mas, se o desejo chega a superfície, e se perguntam se existe algo mais, porque estamos aqui, de onde viemos e para onde vamos, acabam tendo um colapso nervoso, pois se vêem obrigadas a desfazerem suas crenças antigas. Por isso que poucas pessoas mudam seus paradigmas, tem que sair da zona de conforto, quebrar modelos antigos, e quando conseguem sair desse conforto antigo, sentem-se livres para uma nova realidade. Porem, existem pessoas que acabam se rendendo e voltando ao conforto anterior e mantem uma vida razoável onde não conseguem evoluir espiritualmente nesse experimento que chamamos de vida.

Nesse vídeo você terá uma visão mais profunda de como a Física Quântica prova que é o seu pensamento que cria sua realidade.



Gina Foganholi – – Criadora e administradora da página do Facebook Física Quântica e Espiritualidade – Buscando e compartilhando conhecimento para que possamos ser pessoas melhores, mais felizes e consequentemente              irradiar amor por todo o Universo.

domingo, 17 de setembro de 2017

Lenda das Três Árvores


Um questionamento sobre o tema Pedi e obtereis:

... Tu disseste que Deus atende sempre as nossas orações, mas eu não concordo. Há anos faço um pedido em minhas orações, mas ele nunca é atendido. Eu sei que não sou nenhuma santa, mas procuro seguir com serenidade os ensinamentos do Evangelho de Jesus. eu busco sempre perdoar e tenho fé, pois creio sinceramente na vida espiritual. Como me explicas isso?


Existe uma lenda que corre o mundo, que nos traz uma profunda lição.

Havia um bosque, em determinada região da Ásia, onde viviam felizes diversas árvores. Lá a paz e a felicidade reinavam. Até que certo dia chegou na floresta um grupo de lenhadores. Eles comentaram que necessitavam de três árvores especiais para atenderem a um último pedido que lhes havia chegado há dois dias. Os lenhadores analisaram as árvores do bosque, escolheram, por fim, as três árvores que seriam cortadas no dia seguinte. Após a decisão, os lenhadores foram embora, enquanto as três jovens árvores choraram amargamente o triste fim que o destino lhes reservara.

Alguns minutos após, resignaram-se, pois eram árvores que tinham fé em Deus. E se o Pai assim desejava, assim seria. Consoladas pelas outras irmãs, as três resolveram fazer u pedido a Deus em suas derradeiras orações. A primeira pediu ao Pai que de sua madeira fosse confeccionada o trono para o maior rei do mundo. A segunda pediu a Deus, que de sua madeira fosse elaborada uma grande embarcação que iria conduzir o maior dos reis e suas grandes riquezas e, por fim, a terceira árvore pediu apo Criador que de sua madeira fosse construída uma grande torre que ligasse o homem a Deus.

Após realizados os pedidos, desceu do céu um anjo, enviado por Deus, que disse às três árvores:

"Vossos pedidos serão atendidos, tenham fé em Deus e aguardem! "Todos na floresta festejaram, agradecendo a assistência Divina. E no dia seguinte os lenhadores foram à floresta e consumaram o plano do dia anterior. As três árvores tombaram serenas, confiantes na promessa Divina.

O tempo passou e a primeira árvore foi transformada em um cocho para a alimentação de porcos. A segunda, foi transformada em um pobre barco de pesca e a terceira, nada fizeram dela, apenas jogaram seus pedaços em uma penitenciária,para lá ser utilizada em qualquer eventualidade.

A notícia logo chegou ao bosque, onde as demais árvores se indignaram com a falsa promessa do anjo. Todas perderam a fé em Deus.Somente as três pobres árvores, que não entendiam o que estava acontecendo, mantiveram-se firmes na fé.

O tempo continuou a passar, até que um dia o cocho de alimentar porcos, que era a primeira árvore, foi comprado pelo dono de uma estalagem em Belém. Alguns meses após, José e Maria tiveram que repousar nas estrebaria dessa estalagem, devido à falta de quartos. Naquela noite nasceu o Rei dos reis e o seu primeiro trono foi o cocho de alimentar porcos da estrebaria. Jesus repousou toda a noite na manjedoura de virou um símbolo mundial do nascimento de Cristo. A primeira árvore, percebendo que estava sendo o primeiro trono do maior rei do mundo, rejubilou-se e agradeceu a Deus por ter-lhe atendido o pedido.

Alguns anos mais se passaram, e a segunda árvore, que foi transformada em barco de pesca, foi comprada por Simão Pedro Barjonas, um pescador da Cafarnaum. Algum tempo depois estava ele, o Grande Rei, passeando e pregando sobre aquela embarcação, Jesus carregava consigo o seu grande tesouro: seus ensinamentos! A segundo árvore, também percebendo que seu pedido tinha sido atendido, agradeceu a Deus. Ela que queria ser uma grande embarcação, para transportar um grande rei e suas riquezas, havia concretizado seu sonho.

Mais alguns anos depois, a terceira árvore foi retirada da carceragem por dois soldados romanos. Apreensiva, ela aguardou o desenrolar dos fatos, acreditando que sua oração seria atendia. Logo, seus pedaços foram unidos, apressadamente,  em forma de cruz. Nela colocaram o melhor homem do mundo, pregando-lhe as mãos e os pés em sua madeira. Reconhecendo o filho de Deus, que os homens não souberam reconhecer, a terceira árvore, em prantos, disse: "Porque, meu Deus? Peço-te para ser uma torre que liga o homem a Deus, e Tu me tornas o instrumento para a morte do Teu Amado Filho! Por que fizeste isto comigo? " As lágrimas da terceira árvore corriam pelos ombros do Nazareno, que estava agonizando no alto da cruz, quando uma voz falou-lhe: "Minha filha, neste momento estás sendo motivo de sofrimento para Meus Amado Filho, mas no futuro tu serás, junto com ele, o grandioso símbolo que ligará todos os meus filhos a mim. O símbolo do Cristo crucificado será o maior ele de ligação entre os homens e o Criador."

Compreendendo,por fim, que também seu pedido havia sido realizado, a terceira árvore converteu suas lágrimas de dor, na mais pura oferta de alegria a Deus, por tornar-se a grande torre que ligaria, por séculos os homens a Deus.

- Nossos pedidos são como o destas árvores. Nós pedimos coisas sempre imaginado a glória e o confortante para acertarem na loteria? E como são poucos aqueles que cresceriam espiritualmente se tivessem a posse das riquezas!

Deus sabe, mais do que nós, o que é melhor para o nosso crescimento espiritual. Devemos pedir a Ele que nos ilumine os caminhos e que se faça a sua vontade, pois ele sabe melhor do que ninguém o que é útil ao nosso progresso espirital.

A prova da pobreza, muitas vezes, é uma bênção Divina que visa acordar os invigilantes. Pois, por quantos meios agradáveis Deus e Jesus tentam chegar até nós, mas poucas vezes percebemos? Então o Criador é obrigado a utilizar-se de recursos dolorosos, mas eficientes.

Através das dificuldades do dia-a-dia, de que desejamos sempre nos livrar, encontramos o passaporte para a ventura espiritual. Em meio às dificuldades aprendemos a dar valor às riquezas do espírito, como a paciência, a tolerância, e a compreensão. Enquanto aqueles que possuem de tudo, e de nada precisam, vivem em redomas de vidro, alheios à dor e ao sofrimento de seus semelhantes, sem ter quem jamais, abrir mão de um capricho. Estes transformam-se em infelizes criaturas, indiferentes à dor de seus semelhantes. São pessoas vazias e egoístas, lembrando mais animais, do que a própria imagem de filhos de Deus.

Devemos, irmãos,  pedir, sim, a Deus, a Jesus, a Maria, aos Santos e aos nossos Anjos Protetores. Mas pedir que Eles nos mostrem o caminho, segundo a sabedoria do Pai, colocando em segundo plano as nossas intenções. Se o nosso pedido for coerente, para o nosso progresso espiritual, nesta encarnação, Deus nos abençoará com a sua realização, caso tenhamos mérito; se não, tenhamos fé e paz no coração, e analisemos nossas vidas, pois, muitas vezes, nosso pedido já foi atendido, de outra forma, e não percebemos, porque estamos obcecados desejando que ele se realize tal qual imaginamos.

Trecho extraído do livro A história de um Anjo - Roger Bottini Paranhos - cap 21




sábado, 2 de setembro de 2017

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Texto para reflexão - O PONTO NEGRO


Trago um texto muito bom extraído do curso de Filosofia que faço - IFEVALE

Certo professor entrou na sala de aula.
Disse aos alunos para se prepararem para uma prova relâmpago.
Todos ficaram assustados.
O professor, como de costume, entregou a prova virada para baixo.
Quando puderam ver, para surpresa de todos, não havia uma só pergunta.
Havia apenas um ponto negro no meio da folha.
O professor, analisando a expressão surpresa de todos, disse:
Agora vocês vão escrever um texto sobre o que estão vendo.
Os alunos confusos começaram a difícil tarefa.
Terminado o tempo, o professor recolheu as folhas…
Colocou-se em frente à turma e começou a ler as redações em voz alta.
Todas, sem exceção, definiram o ponto negro…
Tentando dar explicações por sua presença no centro da folha.
Após ler todas, a sala em silêncio, ele disse:
Esse teste não será para nota, apenas serve de lição.
Ninguém falou sobre a folha em branco.
Todos centralizaram suas atenções no ponto negro.
Assim acontece em nossas vidas.
Temos uma folha em branco inteira para observar, aproveitar…
Mas, sempre nos centralizamos nos pontos negros.
A vida é um presente de DEUS…
Dado a cada um de nós com extremo carinho e cuidado.
Temos motivos para comemorar sempre.
A natureza que se renova.
Os amigos que se fazem presentes…
O emprego que nos dá sustento…
Os milagres que diariamente presenciamos.
No entanto, insistimos em olhar apenas para o ponto negro.
O problema de saúde que nos preocupa…
A falta de dinheiro…
O relacionamento difícil com um familiar…
A decepção com as pessoas.
Os pontos negros são mínimos…
Comparando com tudo aquilo que recebemos diariamente.
Mas, são eles que povoam nossa mente.
Pense nisso: Tire os olhos dos pontos negros da sua vida!
Aproveite cada bênção, cada momento que Deus lhe dá.
Creia que o choro pode durar até o anoitecer.
Mas, a alegria logo vem no amanhecer.
Tenha essa certeza, tranquilize-se e seja feliz…

Texto que desconheço o autor...extraído da web.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Reforma Íntima

O Evangelho Segundo o Espiritismo - cap XVII 6 a 9

A casa apresentava problemas, colocando em risco os moradores.
Rachaduras importantes.
Desvios das paredes.
Trincas na laje.
Telhado instável.
Abalamento geral.

Chamado a opinar, o especialista recomendou providências urgentes.
Escoamento preventivo.
Uso de concreto.
Blocos de sustentação.
Colunas de apoio.
Amarração das estruturas.

Após a reforma, a casa tornou-se segura e resistente às intempéries, fazendo a alegria dos moradores e vizinhos.

*
Também somos construções eivadas de defeitos.
Rachaduras morais.
Desvios de conduta.
Sentimentos trincados.
Convivência instável.

Contudo, Jesus nos convida à reforma íntima e oferece os recursos do Evangelho, para que nossa estrutura espiritual fique alicerçada na rocha do bem e seja capaz de resitir às agressões do mal.

VALÉRIUM - 19-07-2009
medium  Antônio Baduy Filho

Sem desânimos


Receberás da vida, o desafio constante da: aplicação daquilo que ensinas... da aplicação da inteligência, para o sustento da própria existência... da necessidade de perdoar, para poder viver com todos num elo de amor e paz...

Do silêncio, para poder avançar... da amizade, para que vivas em plenitude de entendimento...

Aprimoraste, atendendo-lhe e abraçando os contra-golpes.

Aprende a desvencilhar-te do mundo, deixando de pouco a pouco, os afetos mais caros, cultivando em seu coração a certeza da imortalidade, com que a parcela da renúncia constante que te dignifique a existência.

A vida, aqui ou acolá, surgirá em ti, para que te glorifiques nela, trabalhando e servindo n engrandecimento da própria alma, junto da grande família humana. com representante de Deus.

08-02- 1980

 médium Aurora Barba

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Desenvolvendo a Boa Vontade - Rita Foelker

 
Lázaro, o Espírito autor da comunicação intitulada “A afabilidade e a doçura” incluída por Kardec em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, começa dizendo que a benevolência para com os semelhantes é fruto do amor ao próximo, e que se manifesta na afabilidade e na doçura, desde que sejam sinceras, nascidas no coração, e não pinceladas como uma camada superficial de verniz.
 
Gostar das pessoas, aceitá-las e compreendê-las como são deve ser um dos desafios mais difíceis neste nosso momento evolutivo. Provavelmente por isso, pelo fato das pessoas serem como são e, não, como desejaríamos, é que nos tornamos tão irritadiços, rudes, mal humorados em certos momentos, vivendo o sentimento oposto àquele ao qual Lázaro nos convida.
 
Uma das causas freqüentes de nossa falta de boa vontade com algumas pessoas, inclusive muito próximas de nós, é nosso apego a idéias de como as coisas e as próprias pessoas deveriam ser.

 Temos um sonho a respeito de nossos pais, cônjuge ou filhos ideais, sobre como nossos colegas deviam nos tratar, sobre o carro que queríamos dirigir e a casa em que sonhamos morar, de modo que, quando o panorama geral de nossas vidas contém muito pouco ou nada do que planejamos, sentimo-nos praticamente no direito de sermos ruins, amargurados, deprimidos.
 
Não é raro que a vida esteja muito diferente do que programamos, mas não quer dizer que esta vida que temos não seja boa. Ninguém tem uma vida totalmente ruim, mesmo que difícil, e mais facilmente identificaríamos as bênçãos se parássemos de sofrer com nossos devaneios para encontrar a alegria da vida real.
 
No que se refere às pessoas, não existe um ser humano que não tenha uma qualidade. Pode ser uma que não vemos, porque estamos procurando aquela que melhor nos serviria, que mais se encaixaria no nosso sonho. Há pessoas que carregam pesados fardos de revolta toda uma existências, porque seus pais não foram o seu ideal de pais. E, ainda por cima, culpam estes pais por não terem sido como desejavam, o que é uma atitude comum.
 
Culpar o outro por não ser do jeito que eu quero é um absurdo, que nos faz descarregar nossas frustrações sobre ele e transformar a vida dele (que nada tem a ver com nossos delírios) numa vida horrorosa.
 
Seria muito mais fácil desenvolver boa-vontade nos relacionamentos, se não tivéssemos tantas projeções de paraísos ocupando nossa mente. Parar de criar fantasias, viver a realidade das pessoas e situações como elas são gera uma atitude íntima de aceitação e benevolência, sem cobranças nem frustrações, que nos faria grande bem.

Raciocine comigo: que vida é esta, a “vida boa” com que sonhamos? Um dia ouvi o Gasparetto dizer que ela é apenas um delírio, feito de fragmentos de vidas de pessoas que imagino que vivam bem, pessoas que parecem felizes e completas nos momentos em que as observávamos. Mas o que sabemos de fato sobre o todo, sobre o que acontece com elas nas vinte e quatro horas do dia? Sobre seus pensamentos, vontades, desafios, família, saúde, afetos?
 
O mais provável é que a vida com que sonhamos nem exista. Em vista disto, resta-nos a realidade. E quanto mais apagamos de nossas mentes a fantasia, maiores chances de descobrir elementos de prazer a alegria espalhados na vida real. E haverá mais afabilidade e doçura em nossas palavras e gestos, tornando a vida muitíssimo mais agradável. 
 
Autor: Rita Foelker

Site: Luz do Espiritismo – Grupo Espírita Allan Kardec
 

Boa Vontade - Kant


Segundo o pensamento de Imannuel Kant, a boa vontade é a única coisa que pode ser considerada como boa em si mesma, absoluta e incondicionada, pois já dizia o pensador em seu livro Fundamentação da Metafísica dos Costumes: "De todas as coisas que podemos conceber neste mundo ou mesmo, de maneira geral, fora dele, não há nenhuma que possa ser considerada como boa sem restrição, salvo uma 'boa vontade'" (KANT, 1991). Isto porque a boa vontade, enquanto princípio que orienta as ações humanas, não vai buscar o seu valor num ato de caridade praticado com a intenção de obter benefícios pessoais. Por isso, o valor de uma boa vontade consiste, apenas, na pura intenção de praticar o bem. Quando a mesma intenção se afirma como um valor em si mesmo, independentemente das conseqüências, ela surge para nós como um bem absoluto e incondicionado.

 Desta maneira, não aplica a ela limites e qualidades, mas implica dizer que ela não sofre alterações, ou seja, ela é estável. Na obra Fundamentação da Metafísica dos costumes já dizia Kant:

A boa vontade não é boa pelo que produz e realiza, nem por facilitar o alcance de um fim que nos proponhamos, mas apenas pelo querer mesmo; isto quer dizer que ela é boa em si e que, considerada em si mesma, deve ser tida em preço infinitamente mais elevado que tudo quanto possa realizar-se por seu intermédio em proveito de alguma inclinação, ou mesmo, se se quiser, do conjunto de todas as inclinações (KANT, 1991).

A Boa vontade é o mais alto bem, mas não o único bem. Sendo assim, vale afirmar que existem outros bens considerados condicionados, ou seja, aquele que são diferentes do bem absoluto que é incondicionado. A Boa Vontade, como bem absoluto é teleológica, ou seja, mira um fim último. 

Segundo o filósofo, o valor absoluto de uma boa vontade é atributo da pura razão, pois esta deve produzir em nós a boa vontade.

Deste modo, percebemos que no pensamento kantiano a Boa Vontade não tem dependência de um fator externo, ela é um bem em si mesma. Ela não pode ser grande para uns e pequena para outros. 

Ela é incondicionada e deve ser regulamentada no homem pela razão.

Revisado por Editor do Webartigos.com

5 Formas de aumentar a sua força de vontade




Ter força de vontade é um grande impulsionador para tudo na nossa vida. A força de vontade estabelece relações com a capacidade de controlarmos os estímulos, adiarmos a recompensa, autodisciplina e noção de valor da tarefa em mãos. Como o próprio nome indica “força”, pressupõe um determinado nível ou grau. Todos temos força de vontade. O que podemos por vezes não ter é a capacidade de canalizá-la para algumas tarefas, ações, atitudes ou atividades que sabemos podermos vir a ser beneficiados ou que são imperativas para nós. Ainda assim, o nosso nível ou grau de força de vontade, tal como a nossa força muscular, quando treinada, pode ser melhorada. E depois de melhorada podemos aperfeiçoar a capacidade de orientá-la para onde pretendemos ou necessitamos.

VOCÊ GOSTARIA DE TER MAIS FORÇA DE VONTADE PARA MUDAR OS SEUS HÁBITOS?

A força de vontade é muitas das vezes impotente contra a força dos nossos maus hábitos. A questão não se prende com não possuirmos força de vontade, mas sim de não estarmos suficientemente preparados para persistir. Temos também de trabalhar a força de resistência da nossa vontade contra a força de persistência de alguns maus hábitos instituídos.
Existem várias técnicas que você pode usar para reforçar a sua força de vontade e vencer as tentações, a desmotivação, o adiamento, a preguiça, a falta de disciplina, entre outros. Qualquer que seja a sua fraqueza, você pode superá-las, e ainda eliminar o velho sentimento de culpa que por vezes o atormente por não conseguir fazer o que pretende.
Não é que você não queira uma determinada coisa ou objetivo o suficiente. Não é que você não se esforce o suficiente. Não é que seja uma falha no seu caráter. Provavelmente, você simplesmente não tem aprendido e aplicado a maneira correta de tirar o máximo proveito da sua força de vontade.

COMO ACIONAR E AUMENTAR A SUA FORÇA DE VONTADE

Cada um de nós enfrenta momentos críticos em que nos deparamos com a necessidade de assumir os nossos compromissos e escolhas ou ceder aos nossos maus hábitos. É nestes momentos cruciais que temos que confiar na nossa força de vontade. Temos de confiar na capacidade de dizer não aquilo que sabemos que não nos serve. Temos de focar a nossa atenção naquilo que sabemos que é bom para nós, e simplesmente fazê-lo. Mesmo que se ceda perante um vício, um mau hábito, ou um pensamento negativo, será sempre uma decisão nossa, mais ou menos consciente.
Citação: “Não morda a isca do prazer até que você se certifique que não existe nenhum anzol.” -  Thomas Jefferson
Apresento algumas técnicas eficazes para treinar e reforçar a sua força de vontade para que possa orientar a sua intenção para onde deseja. Utilizar várias estratégias em conjunto é a melhor maneira de solidificar a sua força de vontade.

5 Técnicas para disciplinar e aumentar a sua força de vontade:

1. IMPULSIONE A SUA MOTIVAÇÃO

Tome consciência de uma vez por todas que você irá comprometer o seu futuro se continuar a realizar os seus maus hábitos. Qual será o resultado provável se não tomar um atitude positiva? Não continue a adiar, dizendo para si mesmo que um dia você irá mudar. Em vez disso, olhe para os piores cenários possíveis. É esse o futuro que você deseja para si, e eventualmente para as pessoas que estão ao seu encargo? Construa uma visão nítida do quanto o seu atual comportamento o prejudica.
Você pode ter que fazer algumas pesquisas dos malefícios dos seus maus hábitos. Converse com especialistas que possam informá-lo do que é provável que aconteça se você não se decidir a mudar. Explique que você está tentando entender o peso das desvantagens desse comportamento. Certifique-se que entende todas as desvantagens no sentido de construir uma ideia ainda mais intensa sobre aquilo que você pretende mudar para melhor.
Use tudo isso para impulsionar a sua motivação. Esta é uma motivação pela negativa, mas que pode ser de grande utilidade no sentido de você perceber o que valoriza, o que pretende alcançar e que coisas lhe são significativas. Ao perceber o impacto negativo de alguns dos seus hábitos e o quanto o afastam dos seus objetivos de vida, pode descobrir um gatilho que faça disparar a sua motivação para fazer o que acha ser o mais correto e vantajoso.

SUA FORÇA DE VONTADE

Uma das razões que pode estar a contribuir para a manutenção do seu mau hábito é provavelmente devido a uma lacuna no conhecimento ou alguma habilidade em falta. Por exemplo, talvez você nunca tenha aprendido a cozinhar refeições saudáveis e saborosas. Portanto, você continua a comer “mal” promovendo o excesso de peso.
A saber: A ausência ou lacuna numa habilidade irá sabotar a sua força de vontade.
Além disso, você pode ter um ponto cego, faltando-lhe conhecimento sobre o quanto o seu mau hábito o está prejudicando. Seguindo o mesmo exemplo, talvez a pessoa nem considere que tem excesso de peso. Por isso é muito importante seguir à risca o ponto 1 (impulsione a sua motivação). A pessoa até pode perceber que tem uns quilos a mais, mas não olha para ela mesma como sendo obesa.
Dica: Tente ganhar o máximo de conhecimento sobre a sua condição. Perceba quais as ausências de habilidades que estão sabotando as suas tentativas de mudança, ou de inicio de mudança.
Você necessita de adquirir conhecimento para suportar os seus novos comportamentos (mais desejáveis). Você necessita estar minimamente preparado para enfrentar os desafios a que se propõe. Depois de ter algum fundamento básico, então você pode procurar apoio mais específico. Por exemplo procurar um mentor que possa ajudá-lo a aprender ainda mais. Essas novas habilidades e conhecimentos irão dar um grande impulso à sua vontade.

3. PROCURE ALGUNS ALIADOS

Não tente quebrar o seu mau hábito sozinho. Você precisa de reforços. Estudos têm comprovado que o incentivo social é uma forte influência na mudança de comportamento. Você precisa de pessoas positivas com quem possa partilhar as suas dificuldades e dúvidas. Mas precisa igualmente de partilhar as suas metas, desafios e conquistas. Essas pessoas podem ajudá-lo em algum momento difícil, podem animá-lo e confortá-lo em alguma pequeno recuo.
Ter pessoas que você partilha os seus objetivos, pode ser um ótimo incentivo à sua responsabilização. Reforça a sua decisão de mudança.
Ao mesmo tempo, identifique as pessoas na sua vida que o puxam na direção errada e tente convertê-las em seus aliados. Explique o que você está tentando fazer e peça a ajuda deles. Se você não conseguir convertê-los em aliados, então você pode precisar distanciar-se até que se torne mais forte.
Amigos e familiares provavelmente querem que você tenha sucesso, mas pode não ser suficiente. Muitas vezes estas são as mesmas pessoas que participam com você no seu mau hábito. Portanto, você pode precisar de um treinador, conselheiro, mentor ou terapeuta para ser seu aliado.

4. USE INCENTIVOS PARA RECOMPENSAR O SUCESSO

Em tudo na vida procuramos reforço. Mesmo que esse reforço seja convertido na forma de um sentimento. Estabelecer um sistema de incentivos pode promover a sua força de vontade. Quando você tem sucesso na implementação da mudança, isso por si só é um grande reforço. Emerge um sentimento de orgulho, de dever cumprido, de capacidade de ultrapassar obstáculos. Mas, esse resultado de sucesso será mais reforçado se você o festejar. Não necessita de ser de forma exuberante ou com recompensas caras. Por exemplo, se você cumprir com êxito o seu objetivo de poupança para o mês, combine um bom jantar com a sua esposa para comemorar.

5. CONTROLE O SEU AMBIENTE

Finalmente, tem que entender o poder que alguns fatores externos podem ter sobre você. Se constantemente gasta excessivamente o seu dinheiro quando vai ao shopping, então, numa primeira fase evite ir ao shopping. Controlar alguns dos ambientes onde se movimenta, pode comprovar-se como muito eficaz. Ainda que a longo prazo este método não seja aconselhado, dado que  você não pode passar a sua vida fugindo das coisas. Controlar o ambiente, é muito útil na primeira fase de diminuição da força do mau hábito.
Aqui está outro exemplo menos óbvio de como controlar o seu mundo físico pode promover a sua força de vontade. Estudos têm demonstrado que o tamanho do seu prato desempenha uma grande influência na quantidade de comida ingerida.  Se você selecionar um prato menor, você vai comer menos.
Ao educar-se e usar o conhecimento sabiamente, você pode definitivamente mudar os seus hábitos mais facilmente para que possa alcançar o seu objetivo mais rápido. O ideal, será que você consiga promover o seu ambiente externo no sentido de facilitar a implementação dos bons hábitos e construir alguns obstáculos à execução daquilo que pretende ver extinto.
Dica: Se você aumentar a dificuldade de alcançar as suas tentações, então, vai ficar menos propenso a executá-las.
Alternativamente, promova as coisas que você quer fazer arranjando forma de facilitar a sua execução para que sejam mais fáceis de alcançar, assim você vai praticá-las com mais frequência. Um exemplo, é a prática do exercício físico. Se você tiver que viajar durante muito tempo para ir ao ginásio, então,  será menos provável que você vá. Por outro lado, se você se exercitar em sua casa, tendo tudo perto de si,  então irá aumentar a probabilidade de você se envolver na prática do exercício físico.

 Autor Miguel Lucas

Licenciado em Psicologia, exerce em clínica privada. É também preparador mental de atletas e equipas desportivas, treinador de atletismo e formador na área do rendimento desportivo.


http://www.escolapsicologia.com/formas-de-aumentar-a-sua-forca-de-vontade/